Indústria 4.0: o que é e o que representa para o setor

industria 4.0

Se entre os séculos 18 e 19, a Revolução Industrial mudou completamente a vida das pessoas, atualmente assistimos a outra grande transformação. A chamada “revolução tecnológica” vem alterando não apenas o modo como as pessoas acessam à informação e se relacionam entre si, mas também as formas de produção. Podemos dizer que a era da Internet deu origem também à Indústria 4.0.

No passado, a mecanização da indústria, as novas formas de geração de energia e a inovação nos meios de transporte representaram um grande passo em direção ao desenvolvimento. Hoje, por outro lado, a Web, a inteligência artificial e a conectividade possibilitam a automatização dos processos e trazem muito mais eficiência às operações do setor industrial.

É nesse contexto que se enquadra a chamada Indústria 4.0, fenômeno que envolve tanto a manufatura quanto o setor de transportes e de energia. Neste artigo, vamos procurar definir e entender esse conceito, as suas tendências e impactos para o setor.

O que é a Indústria 4.0

A ideia de Indústria 4.0 (ou “quarta revolução industrial”) surgiu durante a Feira de Hannover, no ano de 2011. Promovido pelo governo da Alemanha juntamente com empresas de tecnologia e centros de pesquisa, o projeto representa uma enorme mudança de paradigma quanto à operação das fábricas na atualidade e no futuro.

Essa transformação tecnológica significa a automatização e a completa descentralização do controle dos processos produtivos. Isso será possível graças ao desenvolvimento e ao uso de dispositivos inteligentes interconectados em todas as etapas da cadeia – da produção à logística.

A Indústria 4.0 abrange, portanto, a proliferação e a adoção gradual de diversas tecnologias de automação industrial e a digitalização das informações e da comunicação entre os vários “atores” envolvidos: máquinas, produtos e pessoas. Em outras palavras, trata-se de implementar a Internet das Coisas no setor industrial e de elevar a automação à sua máxima potência.

Esse cenário não se aplica apenas à parte operacional – com o desenvolvimento da robótica –, mas também à análise e ao intercâmbio de informações. Sendo assim, a troca de dados entre os sistemas e dispositivos também estará garantida. Ela será consequência da padronização técnica da comunicação e da segurança – um pressuposto da Indústria 4.0.

Pilares e princípios da Indústria 4.0

Esse processo de mudança irá possibilitar a geração de ambientes de produção flexíveis e facilmente ajustáveis à demanda por itens cada vez mais específicos. Desse modo, a operação da indústria se tornará cada vez mais inteligente, mais precisa e mais eficiente.

Ao longo do desenvolvimento do conceito de Indústria 4.0, foram estabelecidos alguns princípios que devem caracterizar essa transição. Entre eles, a capacidade de coletar e analisar dados de forma instantânea, a possibilidade de gestão remota, a descentralização da tomada de decisão e a interoperabilidade que permite que os sistemas e as máquinas se comuniquem de forma autônoma entre si. Isso será possível graças a soluções de Internet das Coisas, Big Data, inteligência artificial, computação em nuvem e segurança do trabalho.

Embora, assim como a Revolução Industrial, as transformações promovidas pela Indústria 4.0 sejam lentas e graduais, atualmente já estamos presenciando o surgimento de recursos tecnológicos fundamentais para essa evolução. É o caso, por exemplo, dos softwares de gestão que conectam todos os dados relativos à operação ou de sistemas de automação como o SAAF (Sistema Automatizado de Abastecimento de Frotas), que otimiza o transporte – um ponto específico e essencial da cadeia.

Evolução depende de mudança de visão e de investimento

Acredita-se que o impacto da Indústria 4.0 na produtividade do setor será comparável aos efeitos da Internet em vários campos, como na comunicação, nos serviços e transações bancários e no comércio, por exemplo.

Como se pode notar ao longo do artigo, falamos de muitos aspectos dessa transição no tempo futuro. Isso porque hoje sabemos que a tecnologia ainda não evoluiu ao seu nível máximo de possibilidade. No entanto, é essencial ter em consideração que essa transição já está acontecendo e que não se pode perder tempo.

Além da necessidade de políticas públicas e fomento por parte do governo e da formação e capacitação de profissionais, esse grande passo também irá depender de uma nova postura por parte dos empreendedores e gestores da indústria.

Um dos pilares da instauração da Indústria 4.0 é o entendimento de que não será a mão de obra de baixo custo a gerar vantagens competitivas ao setor, mas, sim, as tecnologias de informação e automação. A evolução depende, portanto, de uma nova visão das operações e também de investimento em novas ferramentas que podem trazer uma maior otimização dos processos e, consequentemente, uma maior produtividade ao setor.

ionics

Fique por dentro das novidades

Desenvolvimento Logo TekoaTekoa
WhatsApp chat