Investimento agrícola precisa ter visão de curto, médio e longo prazo

investimento agricola

Ao injetar recursos em qualquer tipo de negócio, é preciso ter em mente que existem diferentes categorias de retorno, que variam não apenas no valor, mas também nos riscos e no prazo. Nem todos os investimentos apresentam efeitos imediatos, muito pelo contrário. A maior parte daqueles que trazem ótimos resultados e menos riscos demandam um certo tempo. Quando falamos em investimento agrícola, é claro, não poderia ser diferente.

O setor é hoje um dos mais promissores no mercado brasileiro, tendo apresentado, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o melhor desempenho da economia do país em 2017. Enquanto a indústria assistiu a uma dura retração, o agronegócio apresentou um crescimento de 13% no último ano.

No entanto, para organizar uma estrutura que garanta a melhor produtividade possível na agricultura, o empreendedor precisa investir da forma correta, não olhando apenas para o retorno imediato. Um planejamento de curto, médio e longo prazo deve ser elaborado para que os resultados do investimento agrícola sejam positivos.

Tipos de investimento agrícola e prazos

De forma geral, quanto ao tempo necessário para apresentar retorno, existem três tipos de investimento agrícola. O seu prazo depende de vários fatores, principalmente das metas que se deseja alcançar.

O planejamento de curto prazo normalmente compreende um período de poucos meses. O seu cronograma e plano de ação são elaborados de modo que as metas possam ser atingidas em pouco tempo. Para isso, o objetivo de quem investe com visão de curto prazo deve ser passível de alcance dentro de um pequeno período de tempo. Se a sua meta for, por exemplo, ampliar a frota para aumentar a capacidade de transporte da sua produção, a aquisição de novos veículos trará um retorno praticamente imediato. O mesmo vale para ampliação da capacidade de armazenagem ou contratação de novos funcionários.

Por outro lado, objetivos mais complexos demandam um valor mais alto e um pouco mais de tempo para serem concretizados. Os investimentos de médio prazo costumam levar cerca de um a três anos para reverter resultados. Podemos pensar por exemplo, que adquirir terras para plantio pode ser de médio prazo, à medida em que o terreno pode precisar de preparação e a plantação demora algum tempo para se desenvolver.

Por fim, os investimentos de longo prazo são aqueles que provavelmente terão retorno somente depois de alguns anos. Para realizar esse tipo de planejamento, o gestor precisa ter um aporte disponível que não será necessário nos anos seguintes – mas cuja alocação é importante para o crescimento contínuo.

As metas, nesses casos, costumam ser menos específicas e não se pode ter pressa para alcançá-las. A automatização de toda a produção, por exemplo, pode demandar uma aplicação de longo prazo, já que envolve uma série de ações em diversas frentes.

Investimentos de médio e longo prazo trazem resultados mais consistentes

Ao investir no seu negócio, é muito comum que o empreendedor tenha o desejo de colher imediatamente os frutos que plantou. Contudo, como acabamos de ver, nem sempre isso é possível – e, na verdade, desejável.

Um crescimento consistente e duradouro é, na imensa maioria dos casos, fruto de investimentos de médio e longo prazo. É verdade que, em função de serem mais amplos e complexos, eles representam valores mais altos e um tempo maior para concretização. Porém, são a melhor opção para quem deseja realmente evoluir e aumentar a lucratividade dos negócios.

No caso da agricultura, podemos usar como exemplo a questão da tecnologia. É fato que a modernização promovida pela era digital foi – e ainda é – um dos principais passos do setor em direção à expansão da produção. Mas, essas melhorias fundamentais são consequência de um processo que ocorre em um certo período de tempo e requerem um investimento agrícola que definitivamente não traz resultados em poucos meses.

Tecnologia garante produtividade do setor

É evidente que o empresário do agronegócio também deve ter planejamentos de curto prazo com metas elaboradas para solucionar problemas específicos. No entanto, quando o objetivo envolve uma verdadeira evolução do negócio, há que se focar também em planejar a médio e longo prazo e não apenas em itens de retorno imediato.

Além disso, também é importante considerar que investimentos de médio e longo prazo costumam ter resultados de “alto valor”. É o que acontece quando se investe em ferramentas tecnológicas, por exemplo. Esses recursos podem não ter seu valor percebido imediatamente, mas, sem dúvida, valem o investimento e garantem a escalabilidade e a competitividade do negócio.

Muitas soluções desse tipo ajudam a aumentar a produtividade geral do negócio, agindo especificamente sobre uma etapa da cadeia. É o caso do Sistema Automatizado de Abastecimento de Frotas (SAAF). Com um retorno que pode ser enquadrado em médio prazo, o SAAF traz uma economia significativa para toda a empresa e permite o reinvestimento em outros setores do negócio.

ionics

A utilização de uma plataforma para controle do combustível da frota gera resultados em aproximadamente seis meses e faz toda a diferença na expansão do negócio. Por ser um investimento macro, ele influencia em vários aspectos, garantindo economia e segurança por meio do monitoramento preciso do consumo de combustível.

Isso é possível, pois a tecnologia conta com identificação automática de veículos e liberação de fluxo apenas para carros autorizados. Além disso, o SAAF também é integrado ao ERP e produz relatórios com informações valiosas, trazendo maior eficiência para a equipe responsável. Esses dados, a longo prazo, permitem que sejam tomadas decisões mais acertadas para o negócio – inclusive a respeito dos próximos passos e dos futuros investimentos.

Fique por dentro das novidades

Desenvolvimento Logo TekoaTekoa
WhatsApp chat