Manutenção de frota: a importância das ações preventivas e preditivas


A manutenção de frota é uma parte fundamental da logística e precisa ser uma preocupação constante dos empreendedores – tanto daqueles que fazem a gestão de veículos de transporte quanto dos que possuem máquinas agrícolas.

Indispensável para garantir o bom funcionamento e a eficiência dos equipamentos, ela deve ser planejada estrategicamente pelos gestores. A falta de manutenção de frota representa um risco para a segurança dos motoristas, para a carga e para as operações. Isso significa que, a longo prazo, a ausência de revisão coloca em risco a saúde financeira do negócio.

Por isso, cada pequeno detalhe merece atenção. O cuidado com o combustível utilizado e as condições dos pneus, por exemplo, são extremamente relevantes, visto que se tratam das maiores despesas envolvidas com os veículos. Além disso, esses fatores estão também relacionados – manter os pneus em bom estado estende a sua vida útil e também gera economia de combustível. 

Tipos de manutenção de frota

Existem diferentes tipos de manutenção de frota – e todos eles têm a sua importância. Enquanto a manutenção preventiva e a preditiva buscam agir previamente para evitar gastos desnecessários, a corretiva deve resolver os problemas que elas não conseguiram antecipar. Vamos entender melhor aprofundando cada uma delas:

Manutenção preventiva

A manutenção preventiva tem como premissa manter os veículos e as máquinas nas melhores condições possíveis de trabalho. Dessa categoria fazem parte as intervenções planejadas e executadas antes do aparecimento ou ocorrência de problemas.

Não é por acaso que se costuma dizer que “prevenir é o melhor remédio”. A ideia da manutenção de frota preventiva é realizar um diagnóstico preciso do estado dos equipamentos e definir quais medidas precisam ser tomadas para impedir prejuízos e acidentes.

É esse tipo de conservação que, além de evitar despesas com a frota que não estavam previstas, também evita a ociosidade das máquinas e a suspensão da cadeia logística da empresa. Lembrando que esses dois últimos fatores significam elevados custos para o empreendimento.

A melhor forma de realizar a manutenção preventiva é através de um calendário fixo de conservação. Nas datas determinadas pelo cronograma, deve ser realizada a inspeção de itens como: o estado dos pneus; a suspensão; os freios; os fluidos; o motor, o escapamento; o sistema elétrico e as baterias.

Manutenção preditiva

Muito semelhante à manutenção preventiva, a manutenção preditiva é, contudo, mais custosa para o empreendedor. Ela também parte do princípio de que vale muito mais a pena antecipar os problemas. No entanto, a preditiva atua através do uso de ferramentas tecnológicas.

O foco deste tipo de manutenção de frota é o monitoramento regular das condições mecânicas e do desempenho de máquinas e veículos. Isso é realizado com o auxílio de recursos de última geração e seus os resultados costumam ser bastante positivos.

Para garantir esse tipo de conservação, é necessário investir em equipamentos como rastreadores, ultrassom, câmeras termográficas e tecnologias capazes de fazer testes de vibração e inspeção visual.

O investimento, portanto, não é baixo, pois deve incluir ainda o treinamento das equipes que irão realizar o trabalho. Por outro lado, a manutenção preditiva é muito eficiente em termos de redução de custos, gerando economia a longo prazo para o empreendedor.

Manutenção corretiva

Ao contrário das duas primeiras categorias, a manutenção corretiva não é feita com antecipação e acaba se tornando mais necessária quando essas não são feitas de modo adequado. Nos casos em que isso acontece, ela acaba por representar gastos maiores – e “inesperados” -, podendo causar prejuízos para o empreendimento.

A ideia da manutenção não é exatamente consertar máquinas e veículos, mas “manter” o estado inicial da frota. Por isso, a partir de uma determinada quilometragem ou tempo de uso, ela é natural. O problema é que na maioria das situações, ela poderia ser evitada.

A substituição não programada de peças, o uso de mão de obra não prevista e o custo de um veículo parado elevam significativamente as despesas com a manutenção de frota. Por essa razão, é recomendado que haja uma forte política de antecipação de problemas para que esses casos não passem de raras exceções.

Ações preventivas são fundamentais

Levando em consideração o elevado valor agregado de máquinas e veículos e a necessidade de preservá-los, o empreendedor deve obrigatoriamente contar com um cronograma de manutenção de frota bem estruturado.

Dificilmente as despesas com manutenções corretivas serão reduzidas a zero. Porém, um calendário de ações preventivas e preditivas deve ser o foco principal do gestor. Ele deve, inclusive,  fazer parte do planejamento estratégico de redução de custos de um negócio.

Equipes mal preparadas, falta de checklist e de índices de controle estão entre os principais erros nesse sentido. O gerenciamento dos pneus e do combustível são, por exemplo, fatores que não podem ser negligenciados.

Além disso, já que são as pessoas “mais próximas” aos veículos ou à máquinas, escutar os motoristas é parte importante da manutenção de frota. Barulhos anormais e dificuldade de controle são aspectos que podem ser facilmente percebidos por eles.

Em resumo, tendo em mente todos os fatores que mencionamos, manter os custos operacionais baixos e, ao mesmo tempo, estar atento ao funcionamento da frota é a chave para o sucesso.

ionics

Fique por dentro das novidades

Desenvolvimento Logo TekoaTekoa
WhatsApp chat