Transformação Digital na Gestão Agrícola: como isso acontece na prática?

transformação digital gestão agrícola

A necessidade de expandir a produtividade no campo é uma realidade que, em função do aumento da população mundial, já estamos enfrentando nos últimos anos. Se não fosse a transformação digital que possibilitou uma modernização da gestão agrícola, provavelmente não produziríamos na escala em que se produz hoje.

A tecnologia tem sido uma grande aliada do setor e deu origem à chamada “Agricultura 4.0” – também conhecida como “4ª grande revolução” da agricultura. O desenvolvimento tecnológico está produzindo cada vez mais novas oportunidades de inovação em gestão agrícola. E o melhor: elas estão trazendo ótimos resultados.

Por essa razão – e como já falamos neste outro post – modernizar a produção é essencial para ser mais produtivo e competitivo no mercado. Atualmente, existem várias áreas nas quais a tecnologia vem trazendo benefícios para quem tem negócios relacionados ao campo. Neste artigo, listamos alguns desses recursos inovadores que devem fazer parte da sua rotina no agronegócio!

ERP

Os softwares de Enterprise Resource Planning (ERP), por aqui conhecidos também como “planejamento de recursos empresariais” ou “sistemas integrados de gestão empresarial”, também se tornaram importantes ferramentas para os produtores agrícolas.

Essas plataformas de gestão agrícola permitem que você monitore os dados de todas as áreas do seu negócio. Seria como se cada parte do empreendimento estivesse acessível no computador ou em outro dispositivo digital “dentro” de um sistema. Além disso, no ERP todas as informações são interconectadas e trazem insights valiosos sobre a situação da produção e os melhores investimentos, por exemplo.

Os sistemas de gestão agrícola possibilitam um controle completo, tanto da produção quanto da distribuição do que é plantado. Através dos dados colhidos, é possível identificar pontos fracos, reduzir custos e gerenciar riscos de forma muito mais eficaz.

Atualmente, há empresas que já desenvolveram ERPs especialmente voltados para o setor agrícola. Para se ter uma ideia do potencial desses recursos, eles podem ajudar no controle dos setores de plantio de sementes e no armazenamento de grãos e fertilizantes. Além de serem de grande auxílio para a administração financeira dos negócios.

SAAF

Já imaginou se você conseguisse controlar cada gota de combustível da sua frota e ter essa parte da gestão também integrada ao ERP? A modernização do campo já chegou nesse nível de evolução. A IONICS é uma empresa com mais de 30 anos de história e pioneira no Brasil no que se refere ao desenvolvimento do Sistema Automatizado de Abastecimento de Frotas (SAAF).

Essa tecnologia conta com uma solução completa para o controle de abastecimento e consumo de combustível de frotas, tanto para o abastecimento fixo quanto para o abastecimento móvel. Ela garante que a liberação do fluxo seja feita apenas para máquinas ou veículos autorizados, identificando-os de modo automático – sem perda de tempo.

Por meio do sistema, os registros de abastecimento são precisos e armazenados automaticamente. E, para serem acessíveis e serem utilizados na tomada de decisões importantes, os dados são transmitidos por interface USB, GPRS/3G ou rádio 2.4.

O SAAF traz mais segurança e agilidade na gestão agrícola, permitindo um controle que pode resultar em uma redução significativamente dos seus custos. O sistema também é desenhado para evitar fraudes e fazer com que todas as gotas de combustível tenham a destinação correta.

Drones

As imagens geradas por satélites ou drones também são parte fundamental da “Agricultura 4.0” e são cada vez mais comuns no contexto brasileiro. Graças a dispositivos como app FarmGO, hoje é possível elaborar um histórico de safras que auxilia na identificação de problemas na lavoura.

Nesse caso, através de um aplicativo que funciona com o GPS do smartphone, o produtor pode localizar exatamente onde existe necessidade de investigação e melhoria. Há inclusive ferramentas como os Veículos Aéreos não Tripulados (VANTS) desenvolvidos pela Hórus Aeronaves que conseguem identificar deficiências nutricionais na plantação, além de pragas e doenças.

Monitoramento do clima

Como sabemos, o clima é um fator de extrema importância para a agricultura. Condições climáticas favoráveis, quando aliadas a outros fatores que causam impactos positivos, costumam resultar inevitavelmente em safras recordes. Em função disso, as estações de monitoramento agrometeorológico já são uma realidade na produção de diferentes tipos de alimento no país.

Elas são compostas por um conjunto de instrumentos e sensores que recolhem informações relevantes para a análise do clima. A observação meteorológica de superfície consegue atender, normalmente, um raio de pelo menos 5 km de atuação, podendo cobrir uma área considerável.

Por meio desses equipamentos, pode-se fazer uma coleta diária de dados referentes a diversas variáveis atmosféricas que definem o tempo. Como exemplo, podemos citar a temperatura do ar, a velocidade e direção do vento, a radiação, a chuva, a umidade do ar e a pressão atmosférica.

Se antes era preciso contar com uma pessoa que coletasse os dados medidos pelos dispositivos, atualmente existem estações automatizadas. Nelas, os dados são captados por um sistema que armazena e processa todos os registros.

Tecnologia para uma gestão agrícola mais eficaz

Como vimos através dos exemplos que trouxemos aqui, a tecnologia no campo hoje permite colher um grande rol de informações, interligar dados de todas as áreas da produção, cruzar informações e gerar relatórios de controle precisos.

Tudo isso faz com que o gestor tenha um monitoramento diário das operações e acesse um panorama completo dos negócios. Dessa forma, a gestão agrícola se torna muito mais eficaz, pois as decisões estratégicas passam a ser tomadas com base em dados reais e concretos.

Fique por dentro das novidades

Desenvolvimento Logo TekoaTekoa
WhatsApp chat